banner 2017 b

Quarta, 13 Setembro 2017 15:15

Delegado investiga estupro de menina de 14 anos grávida que foi espancada na PB

Adolescente grávida foi agredida por namorado de 21 anos na Paraíba, diz polícia (Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)A adolescente de 14 anos, além de ter sido encontrada machucada e em suposto cárcere privado na cidade de Itabaiana, no Agreste da Paraíba, pode ter sido vítima de estupro. De acordo com o delegado Felipe Castelar, seccional de Itabaiana, o companheiro da adolescente - de 21 anos -, suspeito das agressões, também é investigado por estupro de vulnerável, tendo em vista a possibilidade de ter mantido relações sexuais quando a adolescente ainda tinha 13 anos.

De acordo com o delegado, a adolescente violentada e a mãe dela informaram na delegacia que a garota chegou a ficar grávida antes da gestação atual, mas que acabou sofrendo um aborto. Felipe Castelar explicou que no caso da gravidez anterior, existe um indício de estupro de vulnerável, tendo em vista que o artigo 217 do Código Penal prevê como crime relação sexual com menores de 14 anos, mesmo que exista o consentimento da vítima.

“A única informação que temos até agora a respeito dessa gravidez quando ela tinha 13 anos é o depoimento das duas [mãe e filha]. Estamos colhendo informações com médicos e postos de saúde da cidade para ter informações mais embasadas e tratar o companheiro da adolescente também como suspeito de estupro de vulnerável”, comentou o delegado.

No caso da atual gravidez da adolescente, Felipe Castelar explicou que a relação sexual ocorreu quando a menina já tinha 14 anos, tendo em vista que a gestação está em 12 semanas e a garota fez aniversário em fevereiro. O companheiro da adolescente, apontando a princípio como suspeito das agressões e do cárcere privado não havia se apresentado à polícia até as 10h30 desta quarta-feira (13).

O inquérito que apura o caso segue em aberto sob a responsabilidade do delegado Leonardo Pinho. A contar da segunda-feira (11), quando foi registrada a denúncia de agressão e cárcere privado, o delegado tem 30 dias para concluir a investigação. “A depender do entendimento dele, a prisão preventiva do rapaz pode ser expedida antes da conclusão do inquérito”, completou o delegado seccional Felipe Castelar.

Conforme registro divulgado pela Polícia Civil, a adolescente de 14 anos foi agredida recorrentemente pelo companheiro e deixada em cárcere privado na casa em que os dois moravam em Itabaiana. O delegado de Itabaiana, Felipe Castelar, explicou que na denúncia, a mãe da adolescente relatou que a filha era mantida em cárcere privado e sofria agressões frequentes do companheiro.

“O companheiro agredia frequentemente, tanto que ela estava machucada no momento em que a encontramos. Ainda não verificamos a denúncia feita do cárcere privado pela mãe , mas é uma linha da investigação”, detalhou o delegado. A adolescente, segundo a mãe, fugiu de casa e morava com o companheiro há cerca de um ano.

A Polícia Civil intimou o jovem a comparecer à delegacia e prestar esclarecimentos sobre o caso. O Conselho Tutelar de Itabaiana informou que vai pedir medidas protetivas para a adolescente junto ao Ministério Público da Paraíba.

G1 PB
Portal Santo André em Foco

Ler 20 vezes