banner 2017 b

Esporte

Mega-sena (Foto: Heloise Hamada/G1)O sorteio 1.990 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 50 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h (horário de Brasília) desta quarta-feira (22) em Italva (RJ).

Segundo a Caixa Econômica Federal, se aplicado integralmente na poupança, o prêmio renderia R$ 234 mil ao mês ao ganhador. O valor também é suficiente para comprar 333 carros de luxo ou 100 apartamentos de R$ 500 mil, cada.

Para apostar na Mega-Sena

As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

G1
Portal Santo André em Foco

Renato Portaluppi foi campeão da Copa do Brasil em 2016 (Foto: Lucas Uebel / Grêmio, DVG)Além de toda idolatria forjada nos títulos da Libertadores e do Mundial de 1983, Renato Gaúcho está a dois passos de se tornar o primeiro brasileiro a conquistar a maior competição da América do Sul como jogador e técnico. Nos 57 anos de história da competição, somente sete profissionais já conquistaram a distinção. Aliás, esta será a segunda oportunidade para o comandante do Grêmio.

Em 2008, a chance de Renato bateu na trave. À época treinador do Fluminense, Portaluppi enfrentou a equatoriana LDU na final daquele ano. Perdeu por 4 a 2 no primeiro jogo, em Quito, mas venceu de virada por 3 a 1 no Maracanã e levou a decisão para os pênaltis. Porém, Conca, Thiago Neves e Washington, destaques daquele time, erraram suas cobranças, e o Flu ficou com o vice.

A nova oportunidade para Renato pode torná-lo o oitavo campeão da Libertadores no campo e fora dele. Apenas argentinos e uruguaios conseguiram o feito. O último deles foi o atual técnico do River Plate, Marcelo Gallardo. Pelo mesmo clube, levantou o troféu em 1996 como meia e em 2015, já na casamata. A equipe, aliás, só não chegou mais uma vez à final porque sofreu a virada histórica para o Lanús, por 4 a 2, em La Fortaleza, palco da grande decisão neste ano, na próxima quarta.

O primeiro sul-americano a atingir o feito foi o argentino Humberto Maschio. Em 1967, conquistou a Libertadores como atacante do Racing. Como treinador, tornou-se campeão já em 1973, pelo rival Independiente. Também pelo time vermelho de Avellaneda, Roberto Ferreiro se somou a Maschio. Campeão como zagueiro do Independiente em 1964 e 1965, faturou o tri para o clube como técnico em 1974.

O maior vencedor da Libertadores, porém, é uruguaio. O ponteiro Luis Cubillas deu ao Peñarol os dois primeiros títulos da história da competição, em 1960 e 1961. Dez anos depois, chegaria ao tri com o rival Nacional. Mais tarde, virou ídolo também no Paraguai, ao ser campeão como técnico pelo Olimpia em 1979 e 1990. Do Uruguai, Juan Martín Mujica aumenta a lista com dois títulos pelo Nacional. Em 1971, foi campeão como lateral-esquerdo e, em 1980, já no comando da equipe.

O argentino José Omar Pastoriza faturou a Libertadores de 1972 pelo Independiente, como meio-campista, e em 1984, como treinador do clube – este segundo título erguido justamente diante do Grêmio. O conterrâneo Nery Pumpido levantou a taça como goleiro do River em 1986 e depois foi ao Paraguai para dar o título de 2002 para o Olimpia, na final contra o São Caetano.

Marcelo Gallardo fecha o rol do qual Renato pode fazer parte. Cria das categorias de base do River na década de 1990, foi campeão da Libertadores como meio-campista em 1996, um ano após o bi do Grêmio. Retornou ao clube do coração para ser treinador em 2014 e, no ano seguinte, já ergueu o troféu diante do Tigres, do México.

Globo Esporte
Portal Santo André em Foco

Uefa divulga candidatos ao time do ano com seis brasileiros (Foto: Uefa)Na manhã desta quarta-feira, a Uefa abriu votação em seu site oficial para que o público decida o time do ano. A disputa acontece desde 2001 e, nesse ano, envolve 50 jogadores - sendo eles cinco goleiros, 15 defensores, 15 meias e 15 atacantes.

Seis brasileiros estão entre os escolhidos: além de Neymar, que foi eleito para o melhor onze em 2015, mas ficou fora em 2016, constam na lista Daniel Alves (Paris Saint-Germain), Marcelo (Real Madrid), Alex Sandro (Juventus), Casemiro (Real Madrid) e Fabinho (Monaco). Badalados em seus clubes, Gabriel Jesus (Manchester City) e Coutinho (Liverpool) não entraram na disputa.

Além disso, a nominação dos 50 jogadores traz um recorde nessa temporada - com mais uma inclusão, Cristiano Ronaldo chega a sua 14ª participação na lista, número maior que o de qualquer outro jogador.

Entre os clubes, o Real Madrid é, de longe, o que tem mais indicados para a votação. Onze atletas do time Merengue estão na lista - entre os espanhóis, por exemplo, Barcelona e Atlético de Madrid contam com quatro. Outro detalhe: dezoito jogadores aparecem pela primeira vez na lista divulgada pela Uefa.

Confira a lista de escolhidos por posição:

Goleiros: Buffon (Juventus); De Gea (Manchester United); Navas (Real Madrid), Neuer (Bayern) e Oblak (Atlético de Madrid).

Defensores: Daniel Alves (PSG), Bonucci (Milan), Carvajal (Real Madrid), Chellini (Juventus), Glik (Monaco), Godín (Atlético de Madrid), Kimmich (Bayern), Marcelo (Real Madrid), Mendy (Manchester City), Meunier (PSG), Piqué (Barcelona), Ramos (Real Madrid), Alex Sandro (Juventus), Sánchez (Tottenham) e Valencia (Manchester United).

Meiocampistas: Alli (Tottenham), Asensio (Real Madrid), Casemiro (Real Madrid), De Bruyne (Manchester City), Eriksen (Tottenham), Fabinho (Monaco), Hazard (Chelsea), Iniesta (Barcelona), Isco (Real Madrid), Kroos (Real Madrid), Mkhitaryan (Manchester United), Modric (Real Madrid), Pjanic (Juventus), Pogba (Manchester United) e Saúl (Atlético de Madrid).

Atacantes: Aguero (Manchester City), Aubameyang (Borussia Dortmund), Benzema (Real Madrid), Cavani (PSG), Dybala (Juventus), Falcao (Monaco), Griezmann (Atlético de Madrid), Kane (Tottenham), Lewandowski (Bayern), Mbappé (PSG), Mertens (Napoli), Messi (Barcelona), Neymar (PSG), Cristiano Ronaldo (Real Madrid) e Suárez (Barcelona).

Globo Esporte
Portal Santo André em Foco

Everton não enfrenta o Junior Barranquilla (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)O meia-atacante Everton está fora do jogo desta quinta-feira, contra o Junior Barranquilla, marcado para 21h45, no Maracanã. Embora tenha iniciado nesta semana o processo de transição e realizado trabalhos específicos, o jogador não se recuperou do problema na coxa esquerda apresentado na derrota para o Coritiba, na semana passada, e acabou descartado.

O confronto entre Flamengo e Junior é válido pela semifinal da Copa Sul-Americana. Os times voltam a se enfrentar na próxima quinta-feira, no mesmo horário, em Barranquilla.

Réver, fora do time desde o primeiro Fla-Flu da Sul-Americana (1x0), duelo no qual sofreu contusão no ligamento do joelho direito após entrada dura de Marcos Junior, treinou sem limitações nos últimos dias e está relacionado para o duelo com os colombianos. Rueda, no entanto, não confirmou se será titular.

Inscritos nesta terça-feira na Copa Sul-Americana, os jovens Lincoln e Klebinho deixaram o CT e não ficarão no banco na partida contra o Junior. O primeiro, de 16 anos, fez sua estreia no time profissional no último domingo, nos 3 a 0 sobre o Corinthians.

Globo Esporte
Portal Santo André em Foco

Buffon ganhou o carinho dos adversários antes da partida (Foto: MARCO BERTORELLO / AFP)Juventus e Barcelona fazem, às 17h45 (de Brasília), em Turim, talvez o jogo mais aguardado da rodada desta quarta-feira da Liga dos Campeões. Mas a rivalidade, apimentada naturalmente pela disputa por uma vaga nas oitavas e também pelo recente encontro em que a Juve saiu vencedora (na quartas do ano passado), ficou um pouco de lado. Em seu lugar, apareceu o afago a um dos maiores goleiros de todos os tempos: Gianluigi Buffon.

Na coletiva de imprensa que antecedeu o duelo, Rakitic, volante do Barcelona, deu uma declaração curiosa. Disse que abriria mão de sua vaga na seleção croata para que Buffon pudesse jogar a Copa do Mundo - a Itália caiu para a Suécia na repescagem e está fora do Mundial. E o lateral-esquerdo Alba revelou o desejo de trocar a camisa com a lenda depois da partida. A resposta dele foi ainda mais bacana.

- Querido Rakitic. Como goleiro, eu ainda posso jogar. Mas jogar pela Croácia como um meia no seu lugar talvez não seja uma boa ideia. Estou falando isso para o seu próprio bem (risos). Brincadeiras à parte, suas palavras foram um grande presente. Obrigado a você e ao Alba: minha camisa está esperando por você - publicou o goleiro nas redes sociais.

Depois de perder para a Sampdoria no final de semana pelo Campeonato Italiano poupando alguns titulares, a expectativa é de que Juventus vá com o que tem de melhor para a partida. Afinal, uma derrota significaria não só o adeus ao primeiro lugar como também colocaria a classificação em risco caso o Sporting, que está em terceiro, vença o lanterna Olympiacos. É por isso que o zagueiro Barzagli pediu atenção, acima de tudo.

- Contra o Barcelona vai ser difícil, mas temos que conquistar um bom resultado. É fundamental passar de fase e também para a continuidade da nossa temporada. Eles querem continuar dando espetáculo, mas para nós é um duelo realmente importante - concluiu ele.

Pelo lado do Barcelona, que vive um início de temporada irretocável, a chance da classificação antecipada é o que move o time de Ernesto Valverde. Vitória e até um empate dão a vaga para o Barça, que também á líder isolado no Campeonato Espanhol - e com 10 pontos de vantagem para o Real Madrid, diga-se de passagem.

E um dos seus principais jogadores chega motivado. Luis Suárez, que amargava uma seca de gols, marcou duas vezes na vitória sobre o Leganés no final de semana e, apesar de dizer que o jejum estava incomodava, garantiu que não quer parar por aí.

- Os gols não me preocupavam. Mas, a nível pessoal e para um atacante, é sempre importante - resumiu o "Pistoleiro".

Também pelo Grupo D, o Sporting recebe o Olympiakos em Portugal para espantar o jejum e buscar uma improvável classificação para as oitavas de final. O time de Jorge Jesus precisa vencer os gregos e torcer por uma vitória do Barcelona sobre a Juventus. Ainda assim, teria que superar os espanhóis na última rodada e contar com um tropeço dos italianos contra o Olympiakos. Tendo isso em vista, o mais provável é que o confronto defina uma vaga na Liga Europa, com o terceiro lugar da chave.

GRUPO A

Com a mão na classificação, o Manchester United visita o Basel, que vem surpreendendo no Grupo A, para confirmar sua vaga nas oitavas de final. Com 100% de aproveitamento, a equipe de José Mourinho só precisa de um empate para avançar em primeiro lugar na chave. O time suíço, por sua vez, só avança se vencer os Red Devils e o CSKA perder - já que tem vantagem sobre os russos no confronto direto.

GRUPO B

É a única chave que tem dois classificados. A briga entre Paris Saint-Germain e Bayern de Munique, portanto, é pela primeira colocação. E o PSG pode confirmá-la nesta quarta se tiver um resultado melhor que os alemães, que enfrentam o Anderlecht a Bélgica. O time de Neymar, Cavani e companhia pega o Celtic no Parque dos Príncipes.

GRUPO C

Pode-se dizer que é o dia mais importante da temporada para o Atlético de Madrid até aqui. O time espanhol precisa fazer sua parte, que é vencer a Roma. Dessa forma, independente do resultado da partida entre Qarabag e Chelsea, chega na última rodada com chances. Se empatar, precisa torcer por uma improvável vitória do time do Azerbaijão sobre os Blues. E se perder, dá adeus precocemente à Liga dos Campeões. Roma e Chelsea, por sua vez, podem avançar juntos nesta quarta: basta vencerem seus jogos.

Globo Esporte
Portal Santo André em Foco

Com alteração de última hora sobre participação de atletas, COB aprova novo estatutoEm uma Assembleia Extraordinária na sede do Comitê Olímpico do Brasil (COB) na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, foram votadas e aprovadas as propostas para o novo estatuto da entidade apresentadas pela Comissão Estatuinte após 42 dias de trabalho. Dentre as principais novidades estão: aumento do controle interno com um Conselho Fiscal desvinculado da presidência; a criação de um Conselho de Ética; novos critérios para se candidatar à presidência; e ainda um Conselho Administrativo. Mas o que mais chamou a atenção foi em relação à participação dos atletas nas votações da Assembleia, que gerou discordâncias, acabou tendo a proposta da constituinte negada e uma outra, de última hora, aprovada.

A Comissão Estatuinte colocava no novo estatuto que o número de atletas participantes na Assembleia seria igual a um terço dos possíveis votantes de um total de 36, ou seja, 12 votos, o que aumentaria consideravelmente a participação deles nas decisões, levando em consideração que o antigo estatuto só dava aos esportistas um voto, o do presidente da Comissão de Atletas. Essa proposta desagradou parte dos presidentes que estiveram no encontro da entidade nesta quarta-feira, que consideraram que o número ficava muito alto.

Foi aberta então uma votação para decidir se a proposta de um terço da Comissão Estatuinte seria aceita. Após os votos, o placar ficou empatado em 15 a 15 (confira todos os votos destrinchados no fim da reportagem). Presidente da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM), Alaor Azevedo sugeriu pela anulação do voto do presidente da Confederação Brasileira de Rugby (CB Rugby), Eduardo Mufarej, que precisou sair mais cedo por conta de um compromisso. Houve discussão sobre o assunto e, sem a presença de Mufarej, a anulação acabou passando.

O presidente da Confederação Brasileira de Tiro Esportivo, Durval Balen, então, propôs uma alteração de um terço sugerida pela Comissão Estatuinte para cinco atletas votantes (todos membros da Comissão de Atletas). No fim das contas, isso foi o que ficou valendo para o novo estatuto. A decisão gerou polêmica, porque o presidente da Confederação Brasileira de Rugby, ao deixar a reunião, declarou seu voto a favor do um terço proposto pela Comissão Estatuinte.

- Achei ruim. Por isso que votei contra (risos). Meu voto foi pelo aumento da representação para 12. Acho que não é o que a sociedade e todos nós esperávamos. O argumento deles foi que subiu 500%, saiu de um para cinco, e que isso era o suficiente. Acho que sim (fico frustrado)... Mas teve vários avanços no estatuto. Há várias mudanças, o estatuto está muito bom em vários aspectos, maior transparência, os conselhos, tem muita evolução. Mas isso seria muito simbólico para a sociedade. Mostraria que existe a vontade de abrir um diálogo, com os atletas participando de decisões. Ficou empatado e, como um presidente saiu antes, invalidaram o voto dele. Ele tinha consignado o voto em ata, mas não consideraram... O resto é muito bom, e o avanço é gigantesco - disse Marco Aurélio de Sá, presidente da CBVela e membro da Comissão Estatuinte.

Presidente da Comissão dos Atletas, Thiago Camilo lamentou também o ocorrido, já que o aumento para 12 era uma reivindicação dos esportistas.

- Eles, na verdade, foram contra a nossa maior participação. Acharam que seria muito. Por esse lado foi uma perda grande para a nossa classe. Até então a proposta tinha sido muito bem aceita pela Estatuinte, e aí quando foi para votação, foram contrários. Eu tenho um voto, não tenho poder aqui. Fui a favor de um terço. Eles foram contra um terço. É importante pontuar que vim aqui, sou presidente da Comissão de Atletas e defendo o interesse dos atletas. Votei 1/3 da participação na Assembléia - reclamou o judoca.

Presidente do Comitê Olímpico do Brasil, Paulo Wanderley teria o voto de minerva. Ou seja, caso o placar terminasse 15 a 15, contando o voto do dirigente do rugby, ele decidiria. Como não foi o que ocorreu, o mandatário do COB preferiu não assinalar qual seria sua opção. Ele não descartou que podem haver tentativas de cancelar a votação na Justiça, mas espera que esse fato não aconteça.

- É uma questão legal, não vale opinião minha ou de quem quer que seja. São coisas que acontecem em processos como esse. Eu só poderia dar o voto de desempate. Eu daria, mas não falo (risos). Não participei de reunião, não interferi, não dei opinião anteriormente. E o trabalho da Comissão foi muito bom mesmo. Pode (haver ação judicial). Tanto um lado quanto o outro podem se sentir prejudicados e contestar. Estava dando tudo tão certinho que não se pensou nisso - comentou Paulo Wanderley.

Além da mudança na questão da participação dos atletas, um dos destaques do novo estatuto é a criação de um Conselho Administrativo. A função desse conselho será gerir o dia a dia do Comitê Olímpico do Brasil. Formado por 15 representantes, oito dirigentes, pelo presidente e vice (que será escolhido em março), um representando do Comitê Olímpico Internacional (COI), dois atletas e duas pessoas independentes escolhidas pela Assembleia, o grupo vai passar a tomar as decisões por meio de votação. Se antes as definições eram centralizadas pelo presidente, com a atuação do Conselho os acordos serão realizados de fomar democrática. Por exemplo, será de responsabilidade do Conselho Administrativo gerir as verbas provenientes da Lei Agnelo/Piva.

Com a votação desta quarta-feira, qualquer brasileiro maior de 18 anos que tenha ficha limpa e três indicações da Assembleia pode se candidatar à presidência do COB se apresentar sua chapa a um mês da eleição. Antes da reformulação do Estatuto, era preciso ser membro do COB há pelo menos cinco anos, ter 10 indicações da Assembleia e apresentar a chapa a pelo menos oito meses do pleito presidencial.

Além dessas mudanças, foram votados e aprovados um aumento no controle interno com um Conselho Fiscal desvinculado da presidência do COB e a criação de um Conselho de Ética na entidade máxima do desporto brasileiro.

A reformulação do Estatuto do COB começou depois que Paulo Wanderley assumiu a presidência. O dirigente era vice de Carlos Arthur Nuzman, que foi preso no dia 11 de outubro por suposta ligação com um esquema fraudulento de compra de votos para a realização dos Jogos Olímpicos de 2016 na cidade do Rio de Janeiro.

No mesmo dia em que assumiu o cargo, o novo presidente montou o grupo designado para apresentar as propostas de mudança, formado pelo presidente da Confederação Brasileira de Vela, Marco Aurélio de Sá Ribeiro; Confederação Brasileira de Esgrima, Ricardo Machado; e o presidente da Confederação Brasileira de Atletismo, José Antônio Martins Fernandes; e o presidente da Comissão de Atletas, Thiago Camilo.

Nesta quarta-feira, estiveram presentes representantes de 28 confederações (não necessariamente os presidentes. Alguns enviaram outras pessoas para representá-los), além de Bernard Rajzman, representante do Comitê Olímpico Internacional (COI), e Thiago Camilo, presidente da Comissão dos Atletas. Futebol e gelo não mandaram representantes para a Assembleia.

Manobra para não assumir o Comitê Rio 2016

Na semana passada, uma reportagem da Folha de S. Paulo revelou que o atual presidente, Paulo Wanderley, atuou nos bastidores e alterou o estatuto para evitar assumir a direção do Comitê Organizador da Rio 2016. Segundo a publicação, Wanderley e sua diretoria conseguiram retirar a proposta do estatuto que acabou sendo aprovado em assembleia nesta quarta.

O comitê organizador dos Jogos Olímpicos acumula dívidas com ex-funcionários, fornecedores e tem que encerrar suas atividades até 2023. Sem presidente desde que Carlos Arhur Nuzman foi preso e entregou sua carta de demissão, o Rio 2016 trabalha sob o comando interino de Edson Menezes e de um conselho administrativo formado por empresários e ex-atletas. Mesmo com a manobra, segue a cargo de Wanderley definir o futuro do estatuto do comitê organizador.

Globo Esporte
Portal Santo André em Foco

Resultado de imagem para mega-senaA Mega-Sena acumulou pela sexta vez consecutiva neste sábado (18). Ninguém acertou as seis dezenas e levou o prêmio estimado em R$ 33 milhões. O próximo concurso, na quarta-feira (22), poderá pagar até R$ 50 milhões.

Os números sorteados foram: 15 - 22 - 30 - 32 - 40 - 58. O concurso 1.989 foi realizado por volta das 20h, em Amparo (SP).

Nesta edição, 47 apostas acertaram a quina e têm direito a R$ 56.106,95 cada uma. Outros 3.280 jogos venceram na quadra e garantiram R$ 1.148,53 cada um.

Uma aposta simples, com apenas seis dezenas, custa R$ 3,50. Os jogos podem ser feitos até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio.

Clientes da Caixa podem fazer as apostas pelo computador, tablet ou celular. Para isso, é necessário ser maior de 18 anos e ter conta corrente no banco.

A chance de acertar as seis dezenas da Mega-Sena com um jogo simples é de uma em 50.063.860 possibilidades de combinações.

UOL
Portal Santo André em Foco

Primeiro jogo será às 21h45 desta quarta, na Arena (Foto: Eduardo Deconto)Assim como o Grêmio anunciou na manhã desta terça-feira um lote extra de mil ingressos para a partida de volta da final da Libertadores diante do Lanús, no dia 29, na Argentina, a Arena entrou na onda e também divulgou uma nova cota de entradas para o duelo em Porto Alegre, nesta quarta-feira. A quantidade de bilhetes à venda não foi divulgada.

No último dia 14, foi aberta a comercialização de ingressos para o primeiro jogo, na Arena. Devido a tamanha procura da torcida tricolor, os servidores inclusive sobrecarregaram, causando reclamação nas redes sociais. Em somente quatro horas, os 26 mil bilhetes foram vendidos. Única opção disponível até então, os camarotes passaram a ser negociados diretamente com a administradora do estádio.

O novo lote já pode ser adquirido no site arenapoa.com.br. A Arena não divulgou, contudo, os setores disponíveis. A previsão é de Arena lotada para o jogo desta quarta, com mais de 55 mil pessoas no duelo com os argentinos, a partir das 21h45. Apenas associados estarão no estádio. O Grêmio já possui mais de 92 mil sócios em dia.

Globo Esporte
Portal Santo André em Foco

Grêmio inicial final da Libertadores contra o LanúsNa tarde desta segunda-feira, o Grêmio trabalhou com foco na decisão da Copa Libertadores, contra o Lanús, na próxima quarta, às 21h45 (de Brasília). O treino ocorreu na Arena, com portões fechados. Com isso, o técnico Renato Portaluppi reforçou as atividades com bola parada e jogadas ensaiadas.

Quando a imprensa teve acesso ao gramado, pode-se acompanhar um trabalho técnico, na qual duas equipes de 11 jogadores, em cada, se enfrentavam em uma das metades do campo. Foram trabalhados os passes, o ataque, a marcação e a finalização. O grupo que enfrentou o Santos, no domingo, pelo Campeonato Brasileiro, realizou trabalhos regenerativos no vestiário do clube.

O treinador gremista deixou dois mistérios na equipe para os jornalistas, mas que, segundo o próprio Renato, na cabeça dele já estão decididos. Na extrema-esquerda, Fernandinho e Everton disputam a posição. A tendência é que o primeiro seja o escolhido pelo comandante tricolor. No meio, Michel e Jailson são as opções para formar dupla com Arthur. O garoto Jailson deve levar a melhor e ser o escolhido para iniciar o duelo.

O provável Grêmio que enfrenta o Lanús na quarta-feira tem a seguinte formação: Marcelo Grohe; Edílson, Pedro Geromel, Walter Kannemann e Bruno Cortez; Jailson (Michel), Arthur, Ramiro, Luan e Fernandinho (Everton); Lucas Barrios. Após os trabalhos do dia, o grupo do Grêmio iniciou a concentração para a decisão.

Nesta terça-feira, o Grêmio encerra a preparação para enfrentar os argentinos. Na quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), Grêmio e Lanús duelam na Arena do Grêmio pela primeira partida da final da Copa Libertadores da América 2017.

O confronto de volta ocorre na próxima quarta, dia 29 de novembro, às 21h45 (de Brasília), no estádio La Fortaleza, em Buenos Aires.

Gazeta Press
Portal Santo André em Foco

Página 1 de 81